Voltar

Encerramento do Campeonato de Laço em Dupla com saldo positivo



Mais de duas mil inscrições no encerramento da temporada do CPLD.

O Campeonato Paranaense de Laço em Dupla, em sua 11ª temporada, é o maior do Brasil para a modalidade. De 23 a 25 de novembro, o CPLD realizou a quarta etapa e a Mega Final, junto com uma ETR Premium.

Foram 2.457 inscrições para ETR, #8, #7, #6, #4, #8 VIP, #7 VIP, #6 VIP, #4 VIP e Incentivo. A premiação foi de R$ 370 mil da etapa e Mega Final, mais R$ 150 mil da ETR, que premiou os campeões da temporada e ainda ETR Premium; um prêmio total de R$ 520 mil. Para a ETR foram cerca de R$ 500 mil e o CPLD chega perto de R$ 1 milhão distribuídos.

“O CPLD só vem criando mais raízes. Temos muitos laçadores fieis ao campeonato e que trazem mais gente às provas”, comemorou Anderson Proença, idealizador do campeonato.

Para o encerramento deste ano, a novidade foi que o valor dos prêmios, que dobrou. “O valor arrecadado com as inscrições para a Mega Final foram revertidos para a premiação. Na somatória 6, por exemplo, ano passado foram R$ 8 mil de primeiro a quinto, este ano conseguimos R$ 28 mil. A ideia do CPLD é sempre inovar e aprimorar as regras para benefício do competidor e do esporte”, comentou o organizador Felipe Monteiro.

As provas aconteceram no Parque de Exposições Governador Ney Braga, em Londrina (PR). Além dos classificados nas etapas anteriores – que aconteceram em Londrina e Goiás -, laçadores do Circuito MSTR, Circuito CLLD e Campeonato Haras Two Brothers também correram a Mega Final.

Outra novidade para essa temporada foi a categoria VIP, com provas que duram em média 40 minutos para acontecer. Para cada handcap, 50 inscritos, até duas inscrições com parceiros diferentes, sem sorteio.

A ETR, Elite Team Roping completou sua terceira temporada. Surgiu com o intuito de estimular mais os profissionais, tornando-se uma categoria que dá força às grandes provas de Team Roping de todo Brasil. Os organizadores observaram um crescimento em relação aos outros anos.

“E a ETR tem capacidade de crescer muito mais. Este ano fizemos um cartão fidelidade e já premiamos os campeões da temporada e na Mega Final CPLD mais uma boa prova de R$ 30 mil garantidos”, ressaltou Proença. Ele estima que se continuar esse trabalho, daqui a quatro anos serão 250 profissionais correndo ETR. “O Brasil tem potencial para isso. Antes da ETR, nunca vi um laçador handcap três bois querendo ser quatro. Hoje é ao contrário, o competidor quer crescer para correr ETR. Então houve uma mudança na maneira do laçador encarar as coisas, uma evolução”, considerou.

Além de premiar os campeões da temporada e dessa etapa Premium, a ETR deu prêmio para o Melhor Cavalo do Ano de Pé e o Melhor Cavalo do Ano de Cabeça, com apoio da ABQM. Foram R$ 4 mil para cada cavalo melhor votado e escolhido pelos próprios laçadores. Para Ricardo Pulzatto, Presidente do Conselho de Administração da ABQM, que veio representando a entidade no evento, “o nível dos profissionais é alto e os cavalos fazem parte do show e também merecem ser incentivados”.  

Foram coroados: Cavalo do Ano ETR Laço Cabeça – First Little Step (Jessies Little Step x Gallo Dont Bug, por  Gallo Del Cielo) – apresentado por Marcos Souza dos Santos; e Cavalo do Ano ETR Laço Pé – Hollywood Jaybee (Doc Jaybee FM x  Harmonia Three JF, por El Thre) – apresentado por Rafael Paoliello. Na pista, os campeões ETR Premium foram Rafael Paoliello e Fabricio Neves.



Newsletter

Cadastre seu e-mail em nossa newsletter!
Copyright© 2018 - Quarter Horse Company Todos os Direitos Reservados
Agência WebSide